domingo, 22 de junho de 2014

Post 2 - Pra tudo há um motivo


Olá! !
Gostaria de, antes de mais nada, falar que este blog não é sobre a minha vida, nem sobre o quanto sou especial.
Durante meus tratamentos de câncer de mama (pra quem não sabe, tive dois), era muito comum ouvir como eu era guerreira, especial e forte. Apreciava os elogios, pois acreditava que eram cheios de boas intenções, mas não me via desse jeito. Não concordo com esse conceito.
Ter um cancer não nos torna guerreiros, até porque se houvesse a mínima possibilidade de não entrar nessa batalha, com certeza nem eu nem ninguém entraria. Guerreiro gosta de lutas e, eu tenho certeza que, nos casos de cancer, todos os pacientes seriam desertores convictos. Mas, diferente das guerras, a doença não nos dä essa possibilidade. Então,  as opções se reduzem a lutar... ou lutar.
Também não me sinto especial.
A propósito,  esse conceito sobre ser especial é um dos mais infelizes equívocos nocivos à nossa sanidade psiquica.  Achar que somos especiais num mundo de bilhões de habitantes é, pra mim, no mínimo,  uma quase esquizofrenia..rs.
Então, por estes e outros motivos, eu não poderia destinar um blog à minha pessoa. Eu sou sö uma alma em busca de respostas e de sentido para essa vida tão contraditória. 
E esta alma irrequieta e curiosa deseja um debate, um compartilhar de idéias sobre possiveis condutas que nos façam viver de modo mais leve e feliz. 
Mas, para que eu possa entrar nesse mérito, serä imprescindível que eu fale das causas que me conduziram às conclusões que vou postar.
Nada surge do zero. Tudo tem uma causa, e para explicar as minhas terei que falar dos meus ultimos 46 anos. 
Mas, prometo tentar ser sintética...rs.. E me focar nos eventos que me atiçaram para os questionamentos, até porque 46 anos não são 46 dias...
Até.... ;)

Nenhum comentário:

Postar um comentário